3. Primeiro Time Skip

A viagem é tão tranquila que em muitos momentos os viajantes esquecem que estão sendo perseguidos. O tempo bom e ensolarado, o clima agradável e o som de crianças brincando e correndo resgatam nos viajantes alegrias, momentos de reflexão e paz.

O único momento de tensão foi o resgate de Samara, há mais de 30 dias. Não houve derramamento de sangue nem armas sacadas. Um resgate noturno eficiente, e a ex-capitã da guarda se junta a caravana em direção a Zilargo.

Os viajantes no princípio de sua viagem inventaram nomes novos para si com a intenção de despistar quaisquer perseguidores.  Nos primeiros dias, essas atitudes tiveram efeito. Nem Thuranni, nem templário da chama prateada nem miliciano de Thaliost apareceram no encalço dos viajantes. Com o passar dos dias, eles foram se tornando mais confiantes, não menos cuidadosos, e o clima e o bom humor foram substituindo a cautela exagerada e o temor de um ataque repentino.

Os viajantes decidiram evitar grandes cidades, tomando dessa forma a rota mais longa e mais segura até a fronteira de Thrane e Breland. Desviaram pelo interior, sempre por estradas menos utilizadas. Houveram milicianos pelo caminho, mas nenhum desconfiou ou agiu de maneira suspeita em relação aos viajantes. As boas condições da estrada também os ajudaram a viajar com velocidade e descrição.

Os recursos deixados por Lars garantiram todos os suprimentos para viagem. Alguns dias, os viajantes se deram ao luxo de dormir em uma estalagem e beber até o dia seguinte. Em outros dias, acamparam a luz das estrelas trocando histórias de guerra e paz ao som da fogueira queimando. O espaço para conversas amenas, troca de histórias e até intimidades surgiram em diversos momentos. Em especial, houve um dia de chuva onde o grupo todo se dispersou correndo em direção a estalagem a alguns minutos de distância, outros desmontaram o acampamento, alguns estavam procurando lenha…

Daia acorda melhor na primeira noite. Na segunda, a mancha avermelhada começa a desaparecer sem deixar cicatriz. Ao fim de uma semana ela já esta melhor e correndo por tudo. Daia gosta muito de animais e viaja ao lado de Caine perguntando muito, querendo ver tudo: as plantas, os animais, a natureza e os porques. É muito risonha e curiosa, e corre sem aviso muitas vezes pelo campo durante o acampamento. Nada perigoso, além de subir em arvores e querer nadar no rio. Ela confia muito em Caine e em Nora.

Saphis acorda logo no segundo dia como se nada tivesse acontecido. Come muito nas primeiras horas e no decorrer do dias recupera a saúde e volta a ser criança. Saphis quer brincar de espada, de cavalgar. Quer aprender a lutar a atirar. Saphis tenta se aproximar muitas vezes de Leon e parece achar legal e amedrontador as marcas e cicatrizes de Leon: ele o admira e acha que as marcas são porque Leon enfrentou muitos inimigos e venceu. Quando vê de relance a besta de mão, Saphis incomoda Leon até que ele o ensine a atirar.

Ambos tem completa noção da marca que carregam. E pouco perguntam sobre Lars ou Rubia, mas é perceptível a saudade que os dois tem deles. São crianças fortes que já viveram histórias tristes antes de encontrar Lars. Nenhuma das marcas aberrantes agem durante toda a viagem.

Samara é muito grata pelo resgate porque ela conhece as histórias de desaparecimentos de outras pessoas durante a guerra. Porém saber que é uma fugitiva não a anima muito menos saber que não pode voltar para casa nem para perto de sua família, no qual parece ter muito apreço. Nos primeiros dias da viagem ela dá pouco espaço para aproximação, ela respira saudade de casa. Mas a conformação da situação vai se assentando aos poucos e ela vai recuperando o animo. Todavia Samara é díficil de acompanhar em alguns momentos. Nunca precisou acampam nem sabe fazer algo para ajudar nesses momentos. É preguiçosa logo cedo e pouco ajuda com a viagem em si. Por outro lado, é inteligente e astuta e sem ela o caminho seria mais díficil, já que ela conhece as estradas. Samara não gosta de lutar, mas gosta da pensar no que fazer e mandar, e é muito boa nisso. Embora não tenha a destreza para ser uma boa lutadora, ela vê com rapidez o que precisa ser melhorado nos outros e não deixa de dar sua opinião. Detesta ser contrariada. Ah… Samara não consegue olhar por muito tempo para Leon. Ela tenta disfarçar, mas sempre o evita. E ela também não gosta de Anton. Mas quem gosta?

Eliza por sua vez é uma mulher cada fez mais feliz. É vísivel nela a segurança de estar perto dos viajantes, principalmente de Baldric, que ela tem uma grande admiração. Não somente isso, mas também é notável que para ela a viagem não é desgastante, mas sim uma oportunidade para um recomeço. Não nega nenhuma atividade e demonstra um interesse grande em aprender a lutar, embora não tenha nenhuma aptidão. Sabe manusear uma faca e a enfiar onde dói, mas não tem treinamento nem força. Teve uma vida complicada e evita entrar em detalhes, por vergonha e orgulho. E esté é o principal problema: Eliza é orgulhosa e quer fazer parte. Se ofende quando fica de fora de algum compromisso como ir a cidade comprar mantimentos ou estar junto na conversa com os guardas. Se preocupa muito com as crianças, mas tenta não se envolver por causa de Nora, com quem não parece se dar muito bem. Quando pode, se mantém perto de Leon ou Baldric.

Nora por outro lado vê a missão. Ela trata as crianças como se fossem seus. Não tira eles de observação e confia muito pouco em alguns viajantes, especialmente Anton. Por outro lado, ao ver a amizade de Daia e Caine, Nora demonstra uma confiança maior no homem-lobo que nos demais. Não gosta de Samara nem de Eliza, principalmente por que sabe que elas podem atrapalhar a missão em caso de uma crise. Acredita que o lugar delas não é ali, mas não expõem isso abertamente, apenas por indiretas. Nora é sabe muitas coisas e gosta que suas explicações sejam ouvidas até o fim mesmo que sejam muito longas. A ela foi confiado os recursos do Lars e ela evita gastos exagerados, mas não é chata. Não se acha a líder, mas acredita que sua opinião tem que ser bem escutada.

Houve também momentos de negociação em vilarejos, compra de mantimentos, troca de noticias entre outras coisas.

Algumas histórias, conhecidas de maneira um pouco diferente pelos viajantes, foram escutadas em tavernas e vilarejos:

Uma delas conta que o prefeito cyriano em Thaliost era na verdade um escravagista que vendia as pessoas que iam a ele procurar por ajuda, e que devido a sua ganância e foi assassinado friamente por um de seus concorrentes, e este ainda está a solta.

Outra história conta que cinquenta Deneiths foram vencidos por apenas 4 homens astutos que trabalhavam para o governador para salvar além de inocentes a própria esposa de um dos homens do governador. 

Além disso, uma história conta de monstros-lobo que atacaram mataram pescadores foram mortos por esses mesmos homens do governador e seu amigo homem-lobo. Inclusive há na história detalhes marcantes como karnathiano caolho e o homem perneta.

Os viajantes se espantam que até mesmo longe de Thaliost seus nomes são lembrados e dão ao povo o que falar. O homem perneta é um pirata de Lhazar algumas vezes, outras ele perdeu a perna na guerra. O karnathiano ve a morte com seu olho faltando ou em outras ele perdeu o olho em uma aposta de taverna. Muitas vezes as pessoas que contam a história dizem conhecer alguem que conhece pessoalmente vocês e acrescentam detalhes próprios a história. Mas sempre lguns detalhes permanecem os mesmos: os viajantes são os heróis e vencem no final. Até de um padre da chama prateada vocês escutam a história, mas muito mais conservadora: o karnathiano caolho se converte para a chama prateada no fim.

Mas outras histórias também chegam até os viajantes…

Houve uma tentativa de assassinato ao ex-governador de Thaliost quando ele viajava para Flamekeep. Algumas pessoas dizem que ele morreu, outras que ele ascendeu espiritualmente e que esta ao lado de Tira. Em todas as histórias Lars e Rubia estão desaparecidos.

Está acontecendo em Thaliost um grande preparativo para um casamento de uma nobre e um templário herói de guerra. Dizem as más linguas que ele enganou a moça para ficar com as terras pois os irmãos da nobre já faleceram todos…

O novo governador de Thaliost está lá mas na verdade quem manda é Solhar seus bisbos novamente. As pessoas começam já a reclamar do novo governador e dizendo nas ruas "Na epoca de Lars pelo menos podiamos falar o que pensavamos…"

Os viajantes ainda se lembram de outras compromissos. Mas parecem que esses outros compromissos não estão com tanta saudade dos viajantes. Nenhuma notícia dos Deneiths, tampouco alguma resposta pela carta enviada. Nem Medani, nem alguma autoridade de Karnath aparenta estar preocupado com os viajantes no momento.

No fim do trigésimo terceiro dia, por outro lado, acontece algo que não é trivial. Aqui, vamos pra mesa.

 

 

3. Primeiro Time Skip

Aventuras em Eberron marcelocamarcelo